Entrevista com Ciro Gomes feita em Americana
Durante a celebração dos 11 anos da Fesspmesp (Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo), evento com cobertura da AGSP (veja matéria), nosso...


ARTIGO
Facebook pode ser protagonista das eleições 2018?
 
Artigo de Lucas Ricardo de Souza Pereira - Jornalista da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP, ex-foca da redação, aficionado pelo mundo do futebol, games, séries e rock'n'roll
 
Não é de hoje que o debate sobre a falta de privacidade no mundo virtual acontece. Sempre ouvimos pessoas que falavam sobre isso logo no início da internet, e agora que estourou o "vacilo" de Mark Zuckberg com o Facebook, maior rede social do mundo atualmente, sabemos que essa ferramenta influenciou direta ou indiretamente o resultado do pleito norte-americano (saiba mais). A questão que fica mediante os acontecimentos nos Estados Unidos é: a história se repetirá nas eleições de 2018 aqui no Brasil?

ANÁLISE - Vivemos um tempo em que a política brasileira se resume ao caos. Os "representantes do povo" no Congresso Nacional não parecem se preocupar tanto com a população. Contudo, nada melhor do que uma rede social para maquiar essa imagem de vilão, não é mesmo? Não digo isso como um ataque a todos os candidatos deste ano, até porque acredito que um parlamentar, empresa ou qualquer outra pessoa competente deve sim divulgar aquilo que faz ou pretende fazer. O problema é quando essa divulgação se baseia em notícias falsas e ainda influencia pessoas, o que acarreta graves consequências ao País.

O QUE FAZER? - Não ser manipulado nas redes sociais parece uma tarefa simples, mas será que é mesmo? A humanidade está mais conectada do que nunca, se aproximando cada vez mais de um episódio de Black Mirror. E como identificar uma influência para votos em nossas redes sociais? Ou melhor, como não escolher o candidato baseado no mundo virtual? Acredito que, principalmente, usando a própria internet! Assim como o antídoto de picada de cobra é feito com o próprio veneno. Pesquise sobre os candidatos, por mais que não exista crédito para a política brasileira, isso é necessário. Nossas escolhas conduzirão o Brasil nos próximos quatro anos, e definirão os rumos, sejam eles bons ou ruins. Vote certo! Vote consciente!

 
CLIQUE AQUI E CONFIRA O ARTIGO ANTERIOR