Entrevista com Ciro Gomes feita em Americana
Durante a celebração dos 11 anos da Fesspmesp (Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo), evento com cobertura da AGSP (veja matéria), nosso...


ARTIGO
Manipulação da mídia e criminalização das mobilizações
 
Artigo de André Dantas - Jornalista da equipe de redação da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP. Fotógrafo, analista midiático, motoqueiro, fã de Fusca e músico nas horas vagas
 
Impressionante como a abordagem da mídia desconstrói a legitimidade da livre manifestação e luta por dignidade, formando cidadãos com senso crítico vulnerável. Em 2012, ao iniciar no jornalismo do movimento sindical, ainda em treinamento, lembro-me de ter cometido o pecado de escrever um texto em que eu dizia que certa mobilização havia atrapalhado o trânsito e causado problemas. Ao ser corrigido, rapidamente compreendi o que por anos não enxerguei: a manipulação da mídia contra os movimentos sociais.

ERRO - Fui advertido por ter dado a mesma interpretação que os grandes conglomerados midiáticos possuem. Essas empresas inserem em seus telejornais uma abordagem depreciável, que coloca as reais vítimas de uma sociedade desigual e injusta como os vilões apenas por optarem em atrair a atenção do poder público por meio de ações mais enérgicas, como interromper o tráfego de veículos em vias públicas.

OMISSÃO - Claro que ninguém gosta de ter seu compromisso interrompido por uma barricada, no entanto, todos comemoram quando os frutos das mobilizações os beneficiam. Muitos, na verdade, sempre esperam que os outros façam sua parte. Exemplo claro é a greve dos caminhoneiros, que parou o País nos últimos dias. Não bastasse a omissão da sociedade em aderir, reportagens marginalizavam o movimento do setor.

ACORDA - Dias após o término das paralisações, além de compromissos firmados pelo Governo, houve a queda do presidente da Petrobrás, Pedro Parente, e junto a ele a política de manutenção do sistema de reajuste do preço do combustível que é atrelada à flutuação do dólar, algo totalmente contrário a realidade financeira do Brasil. Durante esse período, grande parte das notícias mostrava o lado negativo e criminalizava os manifestantes. Diziam que faltavam suprimentos em hospitais, alimentos nas escolas, entre muitas outras coisas, como se isso já não ocorresse todos os dias por conta da incompetência dos políticos.

Voltando ao foco principal, ao ligar sua televisão no jornal ou acessar seu portal de notícias na internet, talvez você nunca vai ver a grande mídia abordar positivamente os anseios populares. É aí que se desenvolve a mídia alternativa e cresce o jornalismo independente. Leonardo Severo, militante sindical e escritor, lançou em 2012 o livro - Latifúndio Midiota: Crime, Crises e Trapaças (Ed. Barão de Itararé) - que trata exatamente da manipulação da informação gerada pela grande mídia. É preciso raciocinar e chegar em suas próprias conclusões e não agir como um expectador alienado. O que quero dizer com tudo isso é que devemos abrir os olhos e pensar nos interesses que existem por trás de matérias e críticas da grande mídia.

 
CLIQUE AQUI E CONFIRA O ARTIGO ANTERIOR