Entrevista com Ciro Gomes feita em Americana
Durante a celebração dos 11 anos da Fesspmesp (Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo), evento com cobertura da AGSP (veja matéria), nosso...


ARTIGO
Brasileiro parece ainda ter dúvida sobre o que é assédio
 
Artigo de Wellington Torres - Editor-chefe da equipe de redação da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP. Heavy user de redes sociais, é fã de tecnologia e estimula a renovação constante
 
Nas últimas semanas fomos inundados por notícias relacionadas a um grupo de brasileiros que teriam, de forma proposital, assediado uma cidadã russa. O vídeo teve milhões de acessos e mostra estes homens incitando a moça a falar palavras de caluniosas e duplo sentido. A partir daí surgiu um grande debate com pessoas defendendo o fato da repercussão dada ser um grande exagero e outras considerando o ato um crime. Aí chegamos a uma conclusão trágica: não sabemos mesmo definir quando ocorre um assédio.

Para facilitar, segundo o dicionário, assédio consiste numa perseguição insistente e inconveniente que tem como alvo uma pessoa ou grupo específico, afetando a sua paz, dignidade e liberdade. E, convenhamos, nosso mundo tem um histórico lamentável de humilhação às mulheres. O ato dos rapazes com a russa, apesar das alegações de inocência, caracteriza um machismo e uma situação de superioridade enraizada por anos em nossa sociedade. É o famoso "politicamente correto" não sendo colocado em prática.

SENTE SÓ - Para se ter uma ideia, o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz minimizou os casos de assédio provocados por brasileiros na Copa do Mundo. O político, curtindo a Copa em Moscou, em uma ação da Embratur, acredita que os brasileiros andam intolerantes com com as falhas humanas e afirmou ainda que o caso não foi tão grave, pois não “morreu ninguém”. Ele ainda culpa as mídias sociais pela falácia em torno deste caso. Minha opinião? Ele precisa pensar se teria a mesma percepção se fosse uma familiar.

Não podemos nos calar em meio a situações como esta. Vale sim o debate acerca de limites e valores. Ao agir desta forma e passar de forma impune, a pessoa tende a repetir seus atos cada vez de forma mais agressiva e desnecessária. Não seja parte da parcela ignorante da população. O assédio existe em todos ambientes, a começar pela própria casa. No esporte, em meio a ânimos exaltados, também vivenciamos isso. Resta saber o que queremos para nós de volta. Para nossas filhas. Nossas esposas. Enfim, para todos.

Assédio sexual, moral, enfim, independente de qual, ao que parece, o brasileiro está longe de saber identificar uma situação real
 
CLIQUE AQUI E CONFIRA O ARTIGO ANTERIOR