Confira entrevista especial com Ciro Gomes
Daniel Lucas Oliveira, diretor da Agência de Comunicação
Grita São Paulo, entrevistou Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República. Após o Encontro Estadual do PDT...


NOTÍCIAS - Osasco, 3 de agosto de 2017
Votação da Câmara barra denúncia contra Michel Temer
 
A Câmara aprovou nesta quarta (2), em uma sessão que durou longas horas, o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o qual indicava a rejeição da investigação da Procuradoria Geral da República
por crime de corrupção passiva contra o atual presidente Michel Temer (PMDB). Com 263 votos a favor do relatório, e 277 contra o mesmo, o peemedebista obteve apoio suficiente para barrar o avanço das denúncias. Na sessão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não votou nem contra e nem a favor.

Com a decisão dos deputados, Temer permanece livre de responder no Supremo Tribunal Federal (STF), o que impede o mesmo de se tornar réu e de ser afastado do cargo da presidência por até 180 dias. Temer responderá no STF após a conclusão de seu mandato, no final do ano de 2018. De acordo com o procurador -geral, Rodrigo Janot, as denúncias a serem feitas contra o presidente são muitas e ele quer apresentar uma nova, acusando-o de organização criminosa e obstrução de justiça, graças as delações da empresa JBS.

SESSÃO - Logo no início da audiência houve protestos de deputados da oposição que levaram diversas faixas pedindo eleições diretas e a saída do presidente golpista, o qual não é legítimo. Porém Michel Temer conquistou vitória cerca de duas horas antes da votação chegar ao fim. Pouco depois das 20 horas, os votos em favor do relatório, contra o andamento das investigações, somado aos ausentes (19) e as abstenções (2) resultavam em 172, o número suficiente para salvar o presidente de responder as denúncias.

HIPOCRISIA -  O primeiro na linha de sucessão para assumir a presidência é Rodrigo Maia, o qual não demonstrou estar contra o presidente da República. Na última audiência como esta, a favor do impeachment de Dilma, os deputados que se posicionaram contra a ex-presidente utilizaram em seus discursos o nome
de Deus e os valores da família. Os deputados favoráveis a Temer evocaram a estabilidade econômica como principal motivo para suas escolhas. O que demonstra a hipocrisia de cada um dos nossos parlamentares.

POR ISSO, CIDADÃO, PENSE BEM EM QUEM DEPOSITAR O SEU VOTO NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES!

CONTATO - Quer uma assessoria para sua entidade? Entre em contato com nossa equipe pelo telefone, WhatsApp, e-mail ou redes sociais. Ligue (11) 3681.6235 I 940.376.585 - mande sua mensagem pelo endereço equipe@gritasaopaulo.com.br ou acesse as redes - Facebook, Instagram, Flickr e YouTube.

Deputados ficam tensos e não conseguem se comportar no plenário durante sessão para votar a denúncia contra Michel Temer