fbpx

Primeiro astronauta brasileiro Marcos Pontes aceita convite para ser ministro da Ciência e Tecnologia

O presidente recém eleito no Brasil Jair Messias Bolsonaro (PSL) já definiu quem será o ministro da Ciência e Tecnologia. O convite foi feito e já aceito ao primeiro astronauta brasileiro Marcos Pontes, que deve comandar a pasta a partir de 2019. Marcos já havia sido mencionado durante a campanha eleitoral.

A nomeação oficial ainda não foi feita, porém Marcos fez um vídeo em suas redes sociais falando sobre sua presença no próximo governo.

Vitória do povo Brasileiro!!!! Vocês foram as urnas e votaram 17 por um Brasil melhor. Palavras não podem expressar o quão feliz e grato estou neste momento. Parabéns ao NOSSO presidente Jair Messias Bolsonaro e ao seu vice General Mourão pela esplendorosa conquista. Vamos comemorar bastante. Abraços Espaciais, Astronauta Marcos Pontes #bolsonaro2018 #somostodosbolsonaro

Posted by Astronauta Marcos Pontes on Monday, October 29, 2018

CONHEÇA MAIS – Marcos César Pontes é natural de Bauru. Recebeu bacharelado em tecnologia aeronáutica da Academia da Força Aérea (AFA), é formado em engenharia aeronáutica pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), mestrado em engenharia de sistemas pela Naval Postgraduate School, em Monterrey, Califórnia e bacharel em administração pública pela Academia da Força Aérea Pirassununga.

Sua primeira profissão foi como eletricista aprendiz em locomotiva a diesel, realizando testes da parte elétrica dos sistemas. Em 1998, Marcos foi convidado pela NASA e iniciou um treinamento em agosto do mesmo ano no Centro Espacial Lyndon Johnson, em Houston. Dois anos depois foi declarado oficialmente “astronauta da NASA”.

Em 2006, o astronauta se tornou o primeiro brasileiro a ir ao espaço. Na missão, para a qual decolou do Casaquistão, ele viajou durante dez dias a bordo da nave Soyuz TMA-8.

Marcos Pontes também é segundo suplente de senador na chapa de Major Olímpio (PSL), eleito no último pleito.

Segundo Pontes, a ideia como ministro é unir os acadêmicos e pesquisadores e disse ter ouvido de Bolsonaro a promessa de crescer o orçamento da pasta de R$ 2,7 bilhões no próximo ano para cerca de R$ 15 bilhões em 2020.

“Queremos aproximar a tecnologia para o dia a dia das pessoas. Vemos tecnologia em todos os lugares e podemos usá-la para melhorar a situação da seca do Nordeste, por exemplo”, declarou em entrevista à rádio Jovem Pan no dia 29 de outubro.

Lucas R. de Souza Pereira

Jornalista da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP, ex-foca da redação, aficionado pelo mundo do futebol, games, séries e rock'n'roll

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *