Centrais Sindicais oferecem estrutura física e suporte no combate ao Coronavírus

As principais Centrais Sindicais do País colocaram à disposição dos Governos municipais e estaduais as suas estruturas físicas. A notícia partiu de Miguel Torres, presidente da Força Sindical, em vídeo divulgado no site oficial da entidade. Sobretudo, a proposta é que as centrais tenham pronto o mapeamento de cerca de 5.000 leitos pelo Brasil, já disponíveis em colônias de férias, clubes, chácaras e ambulatórios pertencentes aos Sindicatos filiados às entidades.

Miguel, que também é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, disse que a entidade colocará à disposição uma colônia de férias na Praia Grande (litoral), com cerca de 500 camas. A princípio, elas podem ser usadas para abrigar pacientes em casos de baixa complexidade. Foi ofertado um clube de campo em Mogi das Cruzes, com cerca de cem leitos.

Miguel Torres comenta a ação das Centrais Sindicais:

Acho que ajuda, porque a maioria dos Estados e municípios está construindo estruturas emergenciais e nós já temos algumas coisas prontas, é um serviço para população, que é quem mantém os Sindicatos.

Apoio

Demonstraram interesse até o momento os Sindicatos de metalúrgicos de São Paulo, Osasco e Grande Curitiba, além do Sindicato dos Borracheiros da Grande São Paulo.

O Sindicato dos Comerciários da cidade de São Paulo vai oferecer cerca de 200 leitos em sua colônia de férias na Praia Grande, além de mais 80 em uma unidade em Cotia. Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), comenta:

Primeiro, vamos fazer articulação para que cada entidade fale com o prefeito, o governador, para que a gente possa colocar à disposição da sociedade uma estrutura que foi construída com dinheiro do trabalhador

Contudo, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) também vai orientar os Sindicatos a colocar à disposição do poder público instalações para atendimento da população. Mas até o fechamento desta matéria, em 30 de março de 2020, às 15h21, não havia sido divulgado qualquer número oficial de contribuições.

Curitiba até já divulgou os locais à disposição

Sede do Instituto Theodoro Cassins – Rua Lamenha Lins, 981
Prédio na região central com 3 andares, estacionamento e amplo espaço disponível

São José dos Pinhais 

Metal Clube de Campo (Sede Campestre) – Rua Antonio Singer, 2304, Campo Largo da Roseira
Também com estacionamento e amplo espaço disponível (fechado e ao ar livre) para serem transformados em leitos ou locais de atendimento

Pinhais

Subsede de Pinhais – Rua Bolsão dos Papagaios, 78 – Jardim Lusitano
2 andares com diversas salas e amplo espaço disponível

Matinhos

Metal Clube de Praia (Colônia de férias) – Avenida Iguaçu, 40 – Matinhos
Amplo espaço disponível com 50 apartamentos que podem ser transformados em cerca de 100 leitos, conta também com grande estacionamento

Sérgio Butka, presidente do SMC (Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba), alerta para a gravidade da situação:

Primeiramente, neste momento tão difícil que a sociedade está passando precisamos concentrar nossos esforços com todos os trabalhadores da nossa categoria e de toda a população. Precisamos também ser transformadores sociais. É o momento de todos se unirem para combater a pandemia do coronavírus.

Wellington Torres

Editor da AGSP. Jornalista de coração e alma, pós-graduado em Assessoria de Comunicação e Mídias Digitais. Heavy user de redes sociais e fã de tecnologia. Já assisti muitas séries, porém agora até minha mãe sabe mais de Greys Anatomy do que eu. Viajante aleatório, sonhando com #NewYork2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *