Dia da Consciência Negra | Um marco de resistência e luta pela igualdade legítima

Em 20 de novembro de 1695, ocorreu a morte de Zumbi dos Palmares, um do maiores líderes na luta pela liberdade dos negros no Brasil. Este foi o dia escolhido como o Dia da Consciência Negra para a conscientização sobre a força e a resistência ao sofrimento da população negra no Brasil desde a colonização. A luta contra o regime de escravidão que submetia os negros aos mais hediondos maus-tratos e ao trabalho forçado, foi bastante sangrenta e custou inúmeras vidas. Enganam-se aqueles que acharam necessário apenas a Princesa Isabel assinar um documento para haver a libertação dos escravos e a igualdade plena e legítima entre os homens e mulheres.

A luta segue até os dias atuais e é extremamente perturbador saber que em 2021 ainda haja inúmeros casos de racismo no mundo e, principalmente, no Brasil. Casos na Saúde, Educação, Esporte e no mercado de trabalho são os mais evidentes. Agora, pensemos e imaginemos quantos e quantos fatos acontecem diariamente em cada cidade, estado e país. Tal reflexão no leva a entender e apoiar a celebração do Dia da Consciência Negra. Um verdadeiro marco de RESISTÊNCIA e LUTA contra qualquer forma de racismo, discriminação, preconceito e ideia torpe que vise inferiorizar, humilhar ou rebaixar qualquer pessoas!

Que esta celebração relembre a importância de refletirmos sobre a posição dos negros na sociedade. Afinal, as gerações de afro-brasileiros que sucederam a época de escravidão sofreram (e ainda sofrem) diversos níveis de preconceito. Devemos lutar também contra práticas igualmente danosas, como as da negação da existência de preconceito no Brasil classificando-as como “vitimismo”. A história mostra os fatos, o presente confirma o passado e é nesse presente que devemos resgatar a dignidade humana de todos os brasileiros.

Unidos pela igualdade!
Unidos contra o racismo!
Unidos na luta pela liberdade e a dignidade humana!
Unidos por cada Preto e Preta!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *