fbpx

Rede Pública de Saúde | Vacinas para bebês está em falta nos postos

As vacinas são a forma mais eficaz de proteger os seres vivos de doenças perigosas. Para os bebês, então, nem se fala. Nesta fase frágil, por exemplo, eles precisam da vacina pentavalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e um tipo de meningite. Porém, conforme aponta nota do Ministério da Saúde, a mesma está em falta em diversos postos de saúde.

A situação gera apreensão em pais de recém-nascidos, pois eles devem receber três doses: aos 2, aos 4 e aos 6 meses de vida. O Ministério da Saúde, responsável por garantir o abastecimento de vacinas no setor público, informa realizar a normalização a partir de novembro. Segundo a nota, o problema não é causado por falta de recursos, mas porque um estoque de pentavalente adquirido por intermédio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) foi reprovado em testes de qualidade feitos pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em trecho, o MS diz:

O Ministério da Saúde solicitou a reposição do fornecimento à Opas. Quando os estoques forem normalizados, o Sistema Único de Saúde (SUS) fará uma busca ativa pelas crianças que completaram 2, 4 ou 6 meses de idade entre agosto e novembro. O país demanda normalmente 800 mil doses mensais dessa vacina. O abastecimento está parcialmente interrompido desde julho, situação comunicada aos estados e municípios.

O texto acrescenta: “Não há dados que revelem uma emergência epidemiológica das doenças cobertas pela vacina pentavalente”. Ainda assim, as autoridades asseguram possuírem doses suficientes para realização de eventuais bloqueios vacinais em caso de surtos inesperados.

O desabastecimento atinge pelo menos cincos estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Rio Grande do Norte. Usuários têm usado as redes sociais para se queixar da situação.

Situação difícil…

Na região metropolitana do Rio de Janeiro, alguns postos estão há mais de um mês sem o imunizante. Procurada, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ) informou que aguarda a nova remessa.

Segundo a médica Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a pentavalente protege contra doenças que estão controladas no país, mas o desabastecimento preocupa porque reduz a cobertura vacinal. “É importante dizer que a vacina não está faltando em todos os postos ainda. Então vale buscar em lugares diferentes. E a minoria da população que tem condições de adquiri-la na rede privada não deve ficar esperando”, avalia.

Informações: Agência Brasil

Wellington Torres

Editor da AGSP. Jornalista de coração e alma, pós-graduado em Assessoria de Comunicação e Mídias Digitais. Heavy user de redes sociais e fã de tecnologia. Já assisti muitas séries, porém agora até minha mãe sabe mais de Greys Anatomy do que eu. Viajante aleatório, já tenho meu próximo destino: Ushuaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *