fbpx

Servidores de Hortolândia podem ser prejudicados por decreto da Prefeitura

A Prefeitura de Hortolândia, liderada por Angelo Perugini (PDT), acaba de ganhar mais uma dor de cabeça. Isso porque em uma medida não negociada com o Sindicato dos Servidores (STSPMH) o governante baixou um decreto em que estende o período letivo até 28 de dezembro. Tudo em decorrência da greve do funcionalismo. Porém o Sindicato alerta para a irregularidade de tal ação e apresentou denúncia no Tribunal de Justiça (TJ).

ENTENDA – Os trabalhadores ainda aguardam o julgamento da legitimidade da greve do funcionalismo. Uma vez o Governo não abrindo diálogo com o Sindicato e a Comissão sobre a reposição dos dias parados, tal decreto é classificado pela entidade como prática “anti-greve”. Conforme foi apurado, também precisa ser claro a forma de pagamento adicional para as horas-extras dos trabalhadores.

Até o fechamento desta matéria, a única explicação dada pela Prefeitura foi de que os trabalhadores não estão sendo lesados, pois a quantidade de trabalhadores em greve representa 15% dos docentes. Ainda que a informação da Administração seja válida (isso será decidido pelo TJ) deveria haver negociação. Seguimos acompanhando este caso.

Fontes: Sindicato dos Servidores de Hortolândia (STSPMH) e Jornal Tribuna Livre

Wellington Torres

Editor-chefe da equipe de redação da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP. Jornalista de coração e alma, pós-graduado em Assessoria de Comunicação e Mídias Digitais, sou heavy user de redes sociais e fã de tecnologia. Amo viajar, mas o dinheiro, infelizmente, não ama estar comigo. Próximo destino: Recife!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *