Taxa de mortalidade por Aids cai 40% em São Paulo. Já o número de soropositivos cresceu 19,6%

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, a taxa de mortalidade pela Aids (Síndrome da Imunodeficiência Humana), doença causada pelo vírus HIV, caiu 44,8% nos últimos dez anos. Infelizmente, as estatísticas do Programa Estadual IST/Aids mostram que também houve um aumento de 19,6% no número total de infecções pelo HIV (soropositivos podem viver anos com o vírus sem desenvolver a doença).

Os casos passaram de 5.295, em 2010, para  6.332, em 2020. Os homens puxaram o índice, com um aumento de 40% (de 3.667 para 5.133). Entre as mulheres, houve queda de 26,4% (de 1.628 para 1.199).

CASOS NO BRASIL

Conforme dados divulgados pela Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV e Aids), o Brasil é responsável por 49% das novas infecções. São mais de 40 mil casos por ano ou um caso a cada 15 minutos. Enquanto no mundo o número de casos caiu 11%, em nosso País houve um aumento de 3%. Também é estimado pelo Ministério da Saúde e laboratórios de pesquisas que aproximadamente 112 mil pessoas ainda não sabem que portam o vírus HIV (estima-se que 827 mil pessoas vivem com o vírus).

DEZEMBRO VERMELHO

O Dezembro Vermelho, campanha instituída pela Lei nº 13.504/2017, marca uma grande mobilização nacional na luta contra o vírus HIV, a Aids e outras IST (infecções sexualmente transmissíveis), chamando a atenção para a prevenção, a assistência e a proteção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV.

A campanha é constituída por um conjunto de atividades e mobilizações relacionadas ao enfrentamento ao HIV/Aids e às demais IST, em consonância com os princípios do Sistema Único de Saúde, de modo integrado em toda a administração pública, com entidades da sociedade civil organizada e organismos internacionais.

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS SOBRE A CAMPANHA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.