Conheça as novidades para o tratamento da pré-diabetes e diabetes tipo 2

A Revista Saúde, da Editora Abril, destaca em sua última edição e na versão online os novos tratamentos para diabetes e a chamada pré-diabetes. No entanto, a publicação deixa claro que a “pré” não é uma doença, para a tranquilidade de muita gente.

Essas são algumas das novidades do Congresso Europeu de Diabetes de 2018, realizado em Berlim (Alemanha). O endocrinologista Carlos Eduardo Barra Couri, da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto, acompanhou as novidades que estão sendo debatidas sobre o tema. São pessoas que estão com a glicemia alterada, mas ainda não são caracterizadas como diabéticas.

MAS AFINAL, O QUE É A DOENÇA?

Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta.

A função principal da insulina é promover a entrada de glicose para as células do organismo. Assim ela pode ser aproveitada para as diversas atividades celulares. A falta da insulina ou um defeito na sua ação resulta em acúmulo de glicose no sangue. Assim, ela tem o nome de hiperglicemia.

No vídeo abaixo, o Dr. Carlos Eduardo revela que o uso de ao menos um remédio no pré-diabetes deve ser considerado. Às vezes, até mais de um.

E não para por aí. Couri ainda destaca que, para os pacientes que já tem diabetes tipo 2, o foco principal do tratamento deve ser o coração.

Fonte: Revista Saúde

Wellington Torres

Editor da AGSP. Jornalista de coração e alma, pós-graduado em Assessoria de Comunicação e Mídias Digitais. Heavy user de redes sociais e fã de tecnologia. Assisto muitas sérias e atualmente meu maior vício são as médicas (Greys, The Good Doctor, New Amsterdam e The Resident) #LetsgotoCanada2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×