fbpx

‘Famosos’ se arrependem do apoio a Bolsonaro

Altamiro Borges
Presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé

A edição da revista Veja desta semana traz uma curiosa reportagem sobre “as celebridades arrependidas pelo apoio a Bolsonaro”. Assinada pela repórter Mariana Zylberkan, a matéria lista alguns “famosos” da mídia que já desembarcaram do jet-ski tresloucado do “capetão” – entre eles, o “humorista” Danilo Gentili, o “roqueiro” Lobão e o músico Fagner. “Desiludidos”, eles passaram a fazer críticas ao presidente e viraram alvo da fúria dos bolsominions. Após ajudarem a chocar o ovo da serpente fascista – a exemplo da asquerosa Veja –, eles agora temem por suas vidas.

“Danilo Gentili costumava inflamar a tropa bolsonarista com suas piadas e pregações marcadas pelo antipetismo e grande afeição às ideias do presidente. Por essa fidelidade, ganhou uma boa recompensa: em 30 de maio, Jair Bolsonaro se tornou o primeiro chefe do Executivo a aceitar ser entrevistado por Gentili em seu programa, The Noite, no SBT. A conversa rolou em clima de camaradagem. Mas o humor bolsonarista mudou depois que Gentili iniciou uma escalada de críticas ao presidente, principalmente em razão da decisão de indicar o filho ao posto de embaixador em Wash­ing­ton… Eduardo reagiu, eles trocaram farpas pelo Twitter e o exército bolsonarista nas redes sociais se inflamou contra o apresentador”.

Como registra a revista, em tom de crítica à intolerância fascista da família Bolsonaro, “o episódio acabou por engrossar a lista das celebridades arrependidas do apoio dado ao presidente. Um dos mais barulhentos fãs de Bolsonaro na época das eleições, o roqueiro Lobão pulou fora da tropa em meados de maio – fazendo também um grande barulho em torno disso. ‘Não tem capacidade intelectual para gerir o Brasil’, declarou em uma entrevista. De uns tempos para cá, passou a chamar o presidente de ‘Bolsomico’ e se dispôs até a trabalhar pelo impeachment. Mais discreto, o cantor Fagner – que diz ter apoiado Bolsonaro porque desejava ‘mudança’ – assumiu publicamente o arrependimento em entrevista ao programa Conversa com Bial, da Globo, em junho. ‘Parece que ele continua na campanha. Passa uma impressão de amadorismo’, afirmou”.

A revista Veja garante que a legião dos desiludidos está crescendo rapidamente. Ela cita grupos que expressam seu descontentamento nas redes sociais e inspiram os memes de perfis no Twitter como “Jair Me Arrependi” (140 mil seguidores) e “Bolsominions Arrependidos” (95 mil). “A desilusão encontra eco em pesquisas – na última, feita em julho pelo Datafolha, 61% responderam que Bolsonaro ‘fez pelo país menos do que se esperava’. Assim como Danilo Gentili, não estão achando mais graça alguma no Governo”. Que pelo menos aprendam a votar no futuro e deixem de ser midiotas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *