Gil Gomes, cronista policial, morre aos 78 anos em São Paulo

Gil Gomes, ex-jornalista e radialista, morreu nesta madrugada (16) em São Paulo. Gil era famoso por seu trabalho com o jornalismo investigativo. Ele sofria de Mal de Parkinson e desde 2005 lutava contra a doença degenerativa. A informação de sua morte foi confirmada pela família e pela assessoria do Hospital São Paulo, sem causa confirmada.

O ex-repórter iniciou sua carreira na extinta Rádio Marconi, na década de 1960. Entre os anos 1991 e 1997, Gil conquistou o grande público na televisão ao integrar o time de repórteres do extinto Aqui Agora, programa do SBT. Gil chamou a atenção por conta da linguagem popular e da dramatização que fazia para narrar as reportagens sobre crimes. Suas aparições eram marcadas com um gesto característico que ele fazia com a mão.

Cândido Gil Gomes Jr. nasceu em São Paulo, em 1940. Dono de uma voz potente, começou a carreira jornalística aos 18 anos, em uma rádio, como locutor esportivo. Na época, não pensava em cobrir crimes. “Polícia sempre me cheirara a coisa de mundo cão”, disse em entrevista à “Folha de S.Paulo” em 2008.

Lucas R. de Souza Pereira

Jornalista da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP, ex-foca da redação, aficionado pelo mundo do futebol, games, séries e rock'n'roll

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.