Que outros Matheus, acometidos de brutalidade, sejam descobertos e amparados

O preconceito, o racismo e as humilhações por condições financeiras são reais e covardes. Hoje, toda essa intolerância, estado de abuso e cegueira moral ganharam mais evidência com o avanço tecnológico e a facilidade dos celulares em registrar tais banalidades, inclusive muitos casos com transmissões ao vivo pelas redes sociais. A degradação moral da sociedade, em todos os aspectos, a falta de amor, respeito e empatia ganham forças. Caminhamos para um caminho sem volta, de estresse, depressão e suicídio.

A Constituição Federal, em seu artigo 5º, nos coloca em igualdade, mas na prática sabemos que não é assim. As agressões covardes e desumanas sofridas pelo entregador Matheus, mais conhecido como Coletinho, em Vinhedo, Interior de São Paulo, comprovam isso. Em um vídeo com ampla repercussão nas redes sociais, vimos um “riquinho” descontrolado, enraizado em bens materiais e medindo sua elevação social em condomínio de luxo, carro, cor de pele, entre outros.

Já em contrapartida, Matheus, inclusive quando olhamos as suas redes sociais, vemos um rapaz simples, do bem, ou seja, aquele trabalhador do dia a dia empenhado a trabalhar muito para garantir o sustento de sua família. Foi contemplado pela sua postura. Foi agraciado e obteve muitas vantagens, sendo algumas financeiramente boas. Mas quantos outros “Matheus” temos na sociedade vítimas de uma crueldade desumana?

É importante denunciar. É importante registrar qualquer tipo de assédio, discriminação, abuso, entre outros. Somos iguais sim, talvez alguns não entendam isso, mas retornaremos para o pó. Uma sociedade justa se construirá com respeito, aceitação das diferenças e conscientes de que o amor deve prevalecer. Que outros Matheus, acometidos de brutalidade, sejam descobertos e amparados.

VAMOS EM FRENTE!

Daniel Lucas Oliveira

Jornalista formado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×