Essa semana, assisti á uma nova série lançada na Netflix: 13 Reasons Why.
A trama é baseada em um livro que leva o mesmo nome. Em um grande resumo, a história gira em torno de Hannah Baker, uma adolescente que comete suicídio por sofrer bullying na escola e padecer dolorosa desilusão amorosa. Como ela não acha saída, acaba por se matar e deixa registrado em fitas os treze motivos que a fizeram cometer este ato, ou seja, as treze pessoas responsáveis por sua grande tragédia.

Não posso negar que a série é muito bonita e que os dramas ali mostrados são reais. Milhões de jovens passam pelas mesmas situações todos os dias. O perigo mora na romantização do suicídio que vemos episódio por episódio. Quase que concordamos que a ação dela é válida. Era uma oportunidade de mostrar aos jovens que existe uma saída sim. Que sempre podemos ter o rumo da nossa vida em nossas mãos, mas, em vez disso, a mídia mostra que existe um lado bom e “sentenciador” para nossos cruéis dramas.

Não digo que você não deva ver ou deixar seus filhos assistirem. Pelo contrário: assistam juntos. Conversem sobre os temas abordados. Sexo, traição, amizades, confidências e desejos são coisas íntimas e difíceis de serem faladas sem banalidade. Ao saber que existe um apoio (familiar, religioso, amigo, etc), é mais fácil refletir alternativas para resolver um problema. A escola é uma fase de muito aprendizado e de dificuldades sociais. É preciso combater o bullying de maneira inteligente, antes que seja tarde para fazer qualquer coisa.

Wellington Torres

Editor da AGSP. Jornalista de coração e alma, pós-graduado em Assessoria de Comunicação e Mídias Digitais. Heavy user de redes sociais e fã de tecnologia. Já assisti muitas séries, porém agora até minha mãe sabe mais de Greys Anatomy do que eu. Viajante aleatório, sonhando com #NewYork2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×