DOE | Hemocentros de São Paulo precisam de doadores para salvar vidas

Com a pandemia do Coronavírus, os bancos de sangue precisam ser abastecidos. O gesto solidário consiste em doar uma pequena quantidade do próprio sangue para salvar a vida de pessoas que se submetem a tratamentos, intervenções médicas, feridos e pacientes de doenças crônicas graves.

Para garantir a segurança dos doadores durante a pandemia, foram criados mecanismos para evitar qualquer tipo de contaminação, com fluxos de entrada diferenciados, agendamento de horário para doações, além da oferta de mecanismos de segurança.

Por mês, cerca de 20 mil pessoas recebem as bolsas de sangue da Fundação Pró-Sangue. Uma única doação pode salvar até quatro vidas. Faça sua parte, independentemente de parentesco entre o doador e quem receberá a doação. O sangue é insubstituível e, por isso, a importância de se manter os estoques de sangue sempre abastecidos e não apenas em datas específicas ou quando algum conhecido precisar.

Nós sempre precisamos de doação de sangue e isso piorou sensivelmente durante a pandemia. Doar sangue é um ato simples, rápido e de cidadania, que não traz risco algum para quem realiza a doação. É um ato humanitário muito importante, principalmente na situação atual”, afirmou o médico e presidente da Associação Brasileira de Hematologia, Dante Mario Langhi Jr.

COMO DOAR?

Para doar sangue neste período, basta procurar um banco de sangue a agendar o atendimento.

Clique aqui e confira os locais de doação na cidade de São Paulo

Bancos de sangue estão seguros
Para garantir a segurança dos doadores, os bancos de sangue adotaram medidas de segurança contra o coronavírus, que estão seguindo todas as orientações necessárias de prevenção. Para evitar aglomerações, os atendimentos são feitos com hora marcada. Além disso, locais como salas de espera e para a retirada foram redimensionados para evitar o contato próximo entre as pessoas.

Requisitos básicos

  • Estar em boas condições de saúde.
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização).
  • Pesar no mínimo 50kg.
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação e RNE-Registro Nacional de Estrangeiro*).
  • Consulte impedimentos temporários abaixo.

Impedimentos temporários

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.
  • Gravidez.
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
  • Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses.
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar 6 meses.
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias.
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.
  • Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses.
  • Vacina contra gripe: por 48 horas.
  • Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões.
  • Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster).

Impedimentos temporários por viagens:

  • Brasil: estados como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses para doar, após o retorno.
  • Estados Unidos: quem esteve nesse país deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno.
  • Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão para doação no (11) 4573-7800.
  • Malária: quem esteve em países com alta prevalência de malária deve aguardar 12 meses após o retorno para doar. (critério semelhante ao dos estados brasileiros com prevalência elevada de malária).
  • Febre Amarela: quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno; se tomou a vacina, deve aguardar 04 semanas; se contraiu a doença, deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial).

Impedimentos definitivos

  • Hepatite após os 11 anos de idade.
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis.
  • Malária.
  • Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva.
  • Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva.
  • Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente.
  • Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.

Confira outros impedimentos à doação no link “Quem não pode doar”.

Intervalos para doação

  • Homens: 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses).
  • Mulheres: 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses).

Condições de doação para pessoas com deficiência

  • Pessoas com mobilidade reduzida: doar preferencialmente no posto Dante Pazzanese ou posto Osasco (incluir link do agendamento;
  • Pessoas com deficiência auditiva, que saibam se comunicar em Libras, doar no posto Clínicas com agendamento prévio; e
  • Pessoas com deficiência visual ou baixa visão, que saibam ler Braille, doar nos postos Clínicas, Mandaqui, Dante Pazzanese, Osasco e Barueri.

Cuidados pós-doação:

  • Evite esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas.
  • Aumente a ingestão de líquidos (água).
  • Não fume por 2 horas.
  • Evite bebidas alcoólicas por 12 horas.
  • Mantenha o curativo no local da punção por, pelo menos, quatro horas.
  • Não dirija veículos de grande porte, não trabalhe em andaimes e não pratique paraquedismo ou mergulho.
  • Faça um pequeno lanche e hidrate-se. É importante que o doador continue se sentindo bem durante o dia em que efetuou a doação de sangue.

Honestidade também salva vidas. Ao doar sangue, seja sincero na entrevista.

*A Pró-Sangue se preocupa com a segurança das crianças. Evite levá-las no dia da doação, mas se alguma delas vier com você no dia da doação, traga um outro adulto para acompanhá-la.

Agora que você entende a importância deste ato de solidariedade, faça a sua parte. Vá ao hemocentro mais próximo e doe sangue regularmente. Vidas dependem de você!

Lucas R. de Souza Pereira

Jornalista da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP, ex-foca da redação, aficionado pelo mundo do futebol, games, séries e rock'n'roll

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×