Saúde Mental | Estudo revela prejuízo até 16 meses após quadro grave da Covid-19

Mais um estudo levanta sequelas de quadros graves da Covid-19. Os cientistas chegaram a um consenso sobre o real prejuízo na saúde mental dos pacientes em um prazo de até 16 meses após o diagnóstico. O levantamento publicado na The Lancet Public Health abrangeu 247,2 mil participantes e acompanhou a evolução deles no período de fevereiro de 2020 a agosto de 2021. Os voluntários são da Dinamarca, Estônia, Islândia, Noruega, Suécia e Reino Unido.

SINTOMAS

Os autores da pesquisa analisaram sintomas de depressão, ansiedade e angústia relacionadas à pandemia e má qualidade do sono em pessoas. A maioria destes males diminuiu dentro de dois meses após o diagnóstico. Mas os participantes acamados por sete dias ou mais eram mais propensos a sofrer durante o período de até 16 meses, em comparação com pacientes nunca acamados.

Um dos grandes vilões da situação é o fato do paciente necessitar de isolamento. Quadros de depressão e ansiedade, por exemplo, muitas vezes exigem uma interação social para recuperação.

De modo geral, os participantes diagnosticados com a Covid-19 tinham um risco 18% maior de depressão e 13% mais chance de terem pior qualidade do sono, em comparação com os não diagnosticados. 

Os pesquisadores apontam o fato do retorno à vida “normal” ser um alívio aos infectados com sintomas leves, enquanto os demais ainda permaneceram ansiosos com o risco de infecção e o isolamento social.

Wellington Torres

Editor da AGSP. Jornalista de coração e alma, pós-graduado em Assessoria de Comunicação e Mídias Digitais. Heavy user de redes sociais e fã de tecnologia. Assisto muitas sérias e atualmente meu maior vício são as médicas (Greys, The Good Doctor, New Amsterdam e The Resident) #LetsgotoCanada2022

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.