Bruno Covas decreta estado de emergência em São Paulo por conta do Coronavírus. Rodízio é suspenso!

Por conta do surto de Coronavírus na capital paulista, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, decretou estado de emergência. O aviso foi publicado no Diário Oficial nesta terça, dia 17 de março.

DETALHES

Pelo decreto, a Prefeitura poderá requisitar bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, com pagamento posterior de indenização justa. A medida também autoriza a dispensa de licitação para aquisição de bens e serviços destinados ao enfrentamento da emergência.

“Fica decretada situação de emergência no Município de São Paulo, para enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus, de importância internacional”.

Além disso, o rodízio de veículos na cidade também está suspenso a partir de hoje (17), por tempo indeterminado, e servidores municipais com mais de 60 anos e aqueles que fazem quimioterapia poderão trabalhar em suas casas, bem como gestantes, lactantes e empregados com algum tipo de imunodeficiência.

DADOS DA SECRETARIA DE SAÚDE ESTADUAL

Até esta segunda (16), São Paulo tem 152 casos confirmados da doença e 1.777 suspeitas. No País, são 234 casos confirmados.

“Todos os dias os casos de coronavírus crescem de 40 a 50% aqui na cidade de São Paulo e isso nos leva a tomar mais medidas para conter a epidemia. Nós estamos entendendo todos os dias como é que a doença se comporta e, baseado nas equipes técnicas, temos ampliados as medidas para segurar o avanço do vírus”, declarou o prefeito.

OUTRAS MEDIDAS

O anúncio também aborda servidores que não estão no grupo de risco. Assim, haverão dois turnos diferentes de trabalho para evitar aglomerações nas repartições públicas.

“A ideia é tirar o pico de stress do transporte público no horário de rush e evitar metrôs e ônibus superlotados. Não há medida restritiva ou do poder público que tenha efeito sem a colaboração e responsabilidade de todos os cidadãos. Lavar as mãos deixou de ser um ato de higiene para ser um ato humanitário. Uma necessidade de saúde pública”, explicou o prefeito.

Os empregados da Saúde e da Segurança Pública, no entanto, não terão os turnos reduzidos, segundo o prefeito.

A Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia deve liberar 30 mil acessos remotos para que os funcionários possam trabalhar na modalidade home office até o final da crise.

O prefeito também afirmou que o atendimento ao público nos balcões de serviço como Descomplica SP, serviços de emissão de documentos ou renegociação de dívidas, além de praças de atendimento das subprefeituras, só serão feitos por meio de agendamento online ou pelo telefone 156, para tentar controlar o fluxo de munícipes nessas repartições.

ACESSE O SITE DA PREFEITURA E SAIBA MAIS

Lucas R. de Souza Pereira

Jornalista da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP, ex-foca da redação, aficionado pelo mundo do futebol, games, séries e rock'n'roll

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *