O papel das entidades sindicais na pandemia do Coronavírus

Surge mais uma oportunidade para as entidades sindicais retomarem seu protagonismo, tanto nas questões trabalhistas como sociais, além de atuarem firmemente na defesa da vida.

TRABALHISTAS

Atuar com responsabilidade e estabelecer todo tipo de pressão a fim de garantir que o presidente do Brasil volte atrás de decisões contra os interesses do trabalhador, assim como fez com a revogação do artigo que congelava o contrato de trabalho por quatro meses, e deverá combater outras medidas prejudiciais.

SOCIAIS

Tem um compromisso sim em contribuir pela manutenção do pagamento do benefício Bolsa Família, que por mais uma tentativa covarde do Governo Federal, tentou roubar dos indivíduos de baixa renda este legítimo direito em um dos momentos mais difíceis da história do mundo.

DEFESA DA VIDA

As entidades sindicais, inclusive do setor público, têm um compromisso com os valorosos Servidores que estão na linha de frente desta batalha que é o combate ao Coronavírus. Inclusive porque as estruturas públicas mostram neste momento a fragilidade e o desespero com casos emergenciais e de extrema crise.

Além de garantir os Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), o poder público deve atuar com muita sabedoria em prol destes profissionais que enfrentam fortes pressões psicológicas. E o papel das entidades sindicais é cobrar a aplicação das legislações visando sempre a vida do trabalhador.

Sem as proteções devidas para os profissionais da linha frente, assim como todo cuidado psicológico, nós, a população no geral, sofreremos grandes perdas, aliás, perdas irreparáveis.

Daniel Lucas Oliveira

Jornalista formado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *