fbpx

Após queda de viaduto da Marginal Pinheiros, Prefeitura anuncia medidas para melhorar o trânsito

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT), anunciou algumas medidas de emergência devido à queda do viaduto da Marginal Pinheiro no sentido Castelo Branco. Ao todo, foram definidas três medidas principais após uma reunião com representantes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP), da Polícia Militar (PM) e dos sindicatos dos comerciantes e carregadores do Entreposto Terminal São Paulo (ETSP).

Os caminhões para descarga de mercadorias poderão entrar na CEAGESP três horas mais cedo, ou seja, a partir das 00 horas. Assim as atividades do entreposto estão adiantadas, ajudando o trânsito em horários de pico. No domingo a liberação dos portões será às 20 horas, antes era às 2 horas.

Há também duas novas entradas na CEAGESP e as faixas de acesso serão ampliadas de 5 para 11. Uma nova entrada com duas cabines será no portão 10, localizado na Avenida Professor Ariovaldo da Silva, e outra no Portão 15, que fica na Rua Xavier Kraus. No Portão 13 existe mais duas cabines e o acesso pela Avenida Dr. Gastão Vidigal continua sendo realizado pelas quatro cabines do Portão 3.

A CET irá implantar mão-dupla de direção na Rua Xavier Kraus, o que permitirá aos motoristas irem da Marginal Pinheiros em direção à Avenida Dr. Gastão Vidigal e assim acessar o Portão 3. Também irá facilitar o acesso ao Portão 10 pelas avenidas Prof. Ariovaldo da Silva e Manuel Bandeira, para quem vem à CEAGESP pela via local da Marginal Pinheiros.

Polícia Militar irá reforçar as equipes na área para garantir segurança nas ruas de acesso ao Portão 10, e já aumentou a quantidade de policiais em motos para agilizar o patrulhamento na região.

Outra ajuda virá dos taxistas e de operadoras de transportes por aplicativos. Após encontro da SMT com representantes dos meios de transporte para a população ficou definido que os taxis terão um desconto de 40% em corridas solicitadas na plataforma SPTaxi e que sejam de origem ou destino da área afetada. Com isso, a Secretaria se comprometeu em estudar a criação de bolsões de estacionamento para embarque e desembarque em locais próximos ao trecho crítico.

Pelas empresas de aplicativos a SMT pediu para que as operadoras estudem medidas para incentivar a utilização dos aplicativos nessa região, em substituição ao uso do carro próprio.

Saiba mais no site do Governo de São Paulo.

 

Lucas R. de Souza Pereira

Jornalista da Agência de Comunicação Grita São Paulo - AGSP, ex-foca da redação, aficionado pelo mundo do futebol, games, séries e rock'n'roll

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *